*Confirmado caso de dengue tipo 4; há cinco anos o estado do RJ não registrava casos*

*Confirmado caso de dengue tipo 4; há cinco anos o estado do RJ não registrava casos*



*A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro recebeu, nesta tarde (07/12), a confirmação do primeiro caso de dengue tipo 4 na cidade do Rio de Janeiro. Trata-se de uma mulher, de 45 anos, residente da capital fluminense, que teve a amostra confirmada pelo Laboratório Central de Saúde Pública Noel Nutels (Lacen-RJ) após três protocolos de análise diferentes. A paciente teve início de sintomas no dia 26 de novembro e segue com os cuidados e tratamento em sua residência. A SES-RJ informou o resultado da análise ao município do Rio de Janeiro logo após a conclusão do laboratório*

*A dengue tipo 4 é menos agressiva do ponto de vista clínico que a do tipo 3, que ainda não circula em nosso estado. A diferença é que como ele volta a circular em nosso território após 5 anos, os que nasceram após o ano de 2018 não tiveram contato com o vírus e não desenvolveram imunidade contra ele, o que aumenta o risco de termos uma epidemia. Por isso estamos antecipando ações preventivas junto aos municípios com capacitação técnica, estabelecendo fluxos de atendimento e cuidado no manejo de pacientes”, afirma a secretária de Estado de Saúde, Claudia Mello*

*Os principais sintomas da dengue são: febre alta (> 38°C); dor no corpo e articulações; ; náuseas e vômitos dor atrás dos olhos; mal-estar; falta de apetite; dor de cabeça; manchas vermelhas no corpo*

*No entanto, a infecção por dengue pode ser assintomática (sem sintomas), apresentar quadro leve, sinais de alarme e de gravidade. Normalmente, a primeira manifestação da dengue é a febre alta (>38°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, além de prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, e manchas vermelhas na pele. Também podem acontecer erupções e coceira na pele. A forma grave da doença inclui o aparecimento de sinais de alarme, como: dor abdominal intensa e contínua, náuseas, vômitos persistentes e sangramento de mucosas*

*Os pacientes que apresentam sinais de alarme ou quadros graves da doença requerem internação para o manejo clínico adequado. Ainda não existe tratamento específico para a doença. A dengue, na maioria dos casos leves, tem cura espontânea depois de 10 dias. É importante ficar atento aos sinais e sintomas da doença, principalmente aqueles que demonstram agravamento do quadro, e procurar assistência na unidade de saúde mais próxima. O indivíduo pode ter dengue até quatro vezes ao longo de sua vida. Isso ocorre porque pode ser infectado com os quatro diferentes sorotipos do vírus. Uma vez exposto a um determinado sorotipo, após a remissão da doença, o indivíduo passa a ter imunidade para aquele sorotipo específico, ficando ainda suscetível aos demais*

*A secretária de saúde do estado do Rio de Janeiro está monitorando todos os casos suspeitos*
Com informações da página Rio das ostra em foco 

Comentários