O abandono de um pai “presente”. É possível?


Apesar do oposto entre as palavras, é o que mais acontece. Em muitas famílias, mesmo para aquelas em que o pai é encontrado de forma física no núcleo familiar, ele em poucas vezes está presente de fato. Presença no sentido de dar afeto, carinho e atenção para aqueles que o tanto amam. Muitos, ainda por cima traem, mas pior que a traição está o abandono daqueles que precisam dele. 


Para saber mais sobre esse assunto tão delicado, confira o artigo na íntegra!

O que destrói mais uma família: traição ou abandono?

Mesmo que delicado, esse é o cotidiano de muitas famílias. Como dito anteriormente, muitos pais não sabem como demonstrar amor e afeto àqueles que fazem parte do seu núcleo familiar: filhos, esposa e parentes próximos. 


Isso geralmente causa um abandono emocional, que apesar de não muito falado, machuca bastante e causa consequências negativas, principalmente para as crianças. Essas começam a acreditar que o amor é esse “mínimo” que lhes foi fornecido. 


Derivado desse afastamento emocional, muitos maridos traem e com frequência. Muitos passam a se envolver em novas aventuras em sua vida pessoal, como por exemplo se tornam o “velho da lancha” para muitas mulheres. Quando essa traição é encoberta, menores as consequências são para a família. 


Porém, no momento em que isso tudo é descoberto há um imenso choque de realidade, difícil de ser digerido. Em famílias onde de fato há o arrependimento por parte do marido, o melhor é ficar e procurar se desculpar por todos os danos causados. 


No entanto, nem sempre esta é a vontade de todos. Apenas o pior que a traição é o abandono. A traição causa uma imensa tristeza e acima de tudo, uma quebra tremenda na confiança que se tinha naquele seu maior parceiro da vida. 


Mas o abandono, ele não te dá nem a oportunidade de diálogo. Há tristeza, pode haver depressão e muita raiva, mas te tira o chão. Não há ninguém ali mais para contar, e uma família inteira é desestabilizada. 





Comentários