É verdade que o amor faz parte de todo ser humano?

É muito comum formularmos perguntas a fim de entender mais sobre o que é o amor. Veja mais sobre se o amor é inerente ao ser humano.

Quem nunca já parou para refletir sobre o que é o amor e como ele se manifesta em nós, seres humanos? A complexidade dessa pergunta também pode ser vista na resposta. Afinal, falar sobre o amor na sua mais pura essência não é uma tarefa fácil. Sendo assim, veja um pouco sobre a discussão da inerência do amor nos seres humanos. 

O amor é uma condição inerente ao ser humano?

Antes de começarmos a falar sobre o que é o amor e sua relação com a natureza humana, precisamos deixar claro o que não é o amor. Isso porque muitas pessoas tendem a confundir o amor pleno com paixões avassaladoras. Embora ambos os sentimentos sejam válidos eles possuem diferenças substanciais. 

Dessa forma, um exemplo claro que “falsos amores” ocorre no caso das cobranças escondidas por trás de ações benevolentes. Então a pessoa age com suposto carinho, mas na primeira oportunidade está cobrando por aquilo que fez em troca de algo, como se de fato não tivesse sido dada de espontânea vontade a fim de agradar. 

No sentido oposto, nós temos o amor puro e incondicional. Aquela pela qual a pessoa se sente bem em estar perto e faz de tudo para demonstrar seu amor sem esperar nada em troca. Nesse sentido, casos como de sugar daddy privacy com outras mulheres, por exemplo, na maioria das vezes pode envolver uma paixão com sentimento de amor condicional, na qual ambas as partes estão pensando sem ganhar algo na relação. 

Mesmo sabendo que a sociedade parece caminhar para um caminho cada vez mais supérfluo das relações sociais, ainda assim, é possível dizer que o amor é algo inerente ao ser humano. Com isso, mesmo podendo ser em graus diferentes, ou então amar verdadeiramente um número maior de pessoas de que outra, ainda assim, é algo quase involuntário. 



Comentários