Vacinação contra a Covid com AstraZeneca para grávidas é suspensa no RJ Na capital, suspensão abrange também as puérperas. Na noite de segunda-feira, Anvisa emitiu uma nota recomendando a suspensão imediata da aplicação da vacina AstraZeneca em grávidas

Vacinação contra a Covid com AstraZeneca para grávidas é suspensa no RJ
Na capital, suspensão abrange também as puérperas. Na noite de segunda-feira, Anvisa emitiu uma nota recomendando a suspensão imediata da aplicação da vacina AstraZeneca em grávidas

O estado do Rio suspendeu a vacinação de grávidas contra a Covid-19. Nesta terça-feira (11), não tem vacina nos postos para as gestantes, com comorbidades ou não. 

O secretário estadual de Saúde, Alexandre Chieppe, explicou que a imunização em grávidas estava sendo feita só com AstraZeneca, já que não há doses de CoronaVac e Pfizer. 

Chieppe reforça, no entanto, que a vacinação contra a gripe está mantida para grávidas. 

Na capital, a Secretaria Municipal de Saúde informou que, além de grávidas, puérperas também não estão sendo vacinadas nesta terça-feira. Nenhuma vacina - seja CoronaVac, Pfizer ou AstraZeneca - está sendo aplicada nos dois grupos (veja abaixo as notas enviadas pelas duas pastas). 

A cidade de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, também decidiu suspender a vacinação da AstraZeneca em gestantes com comorbidades. A Secretaria Municipal diz que aguarda a chegada de doses da Pfizer para retomar a vacinação de grávidas. 

Recomendação da Anvisa

Na noite de segunda-feira (10), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu uma nota recomendando a suspensão imediata da aplicação da vacina AstraZeneca em grávidas. 

A orientação da Anvisa é que a indicação da bula da vacina AstraZeneca seja seguida pelo Programa Nacional de Imunização. 

A prescrição atual do fabricante não recomenda o uso desta vacina em grávidas sem orientação médica. 

Segundo a Anvisa, a medida é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma constante sobre as vacinas anticovid, em uso no país. 

A agência não especificou nenhum evento adverso ocorrido em mulher grávida no Brasil. 

O imunizante vinha sendo usado em gestantes com comorbidades. 

Agora, segundo a Anvisa, só devem ser aplicadas nas grávidas no Brasil as vacinas CoronaVac e a Pfizer. 

Nota da SES 

"A Secretaria de Estado de Saúde (SES) informa que o caso foi notificado pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio ao estado e ao Ministério da Saúde. Todos os dados serão analisados pelo Ministério da Saúde, a quem cabe os processos de investigação de eventos adversos graves. 

A Anvisa recomenda a suspensão da vacinação de gestantes com a vacina AstraZeneca, e reforça que sejam seguidas as indicações da bula do imunobiológico quanto ao público alvo. 

A SES recomenda que a vacinação das gestantes seja suspensa nesta terça-feira, dia 11, no estado do Rio de Janeiro, até que o Programa Nacional de Imunizações divulgue novas recomendações para esse grupo". 

Nota da SMS

"Desde o início da vacinação de gestantes, a Secretaria Municipal de Saúde cumpre a orientação recomendada pela nota da Anvisa de ontem. Porém, até que a investigação do caso de evento adverso em gestante seja finalizada pelo Ministério da Saúde e o Programa Nacional de Imunizações se pronuncie, por precaução, a SMS suspende a vacinação de gestantes e puérperas no Município do Rio de Janeiro". 

Prefeitura de Nova Iguaçu 

"A Prefeitura de Nova Iguaçu suspendeu a vacinação da Astrazeneca, a partir desta terça-feira (11), em gestantes com comorbidades. A medida segue orientações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), divulgada na noite desta segunda-feira (10), para resguardar as gestantes, mesmo considerando que os eventos adversos pós-vacina serem estatisticamente pouco numerosos e mais brandos em relação à Covid-19. 

A Secretaria Municipal de Saúde aguarda o recebimento de doses da vacina da farmacêutica Pfizer para retomar a vacinação de grávidas".


Comentários