FOTOS DE MC MARCELLY APÓS CÁRCERE PRIVADO MOSTRAM AS AGRESSÕES QUE A CANTORA SOFREU

FOTOS DE MC MARCELLY APÓS CÁRCERE PRIVADO MOSTRAM AS AGRESSÕES QUE A CANTORA SOFREU

O exame de corpo de delito realizado na madrugada dessa segunda-feira em Marcelly Almoya da Silva, conhecida como Mc Marcelly, confirmou que a funkeira foi agredida. O ex-companheiro da cantora, Francimar, que está preso, admitiu as agressões em depoimento à polícia. As imagens mostram lesões no joelho, ombro, tornozelo e rosto da funkeira.

Em uma das fotos, é possível ver marcas roxas no supercilho e buço de Marcelly. O laudo de exame de corpo de delito deu positivo para lesão corporal. Em depoimento à polícia, a funkeira relatou que foi agredida por Francimar no dia 18 de abril deste ano com socos, pontapés, chutes e empurrões. O ex da Mc confirmou aos investigadores as agressões naquela ocasião. 

No laudo, consta que Marcelly narrrou que caiu no chão após as agressões e foi arrastada sobre um carpete. Ela também informou que não buscou atendimento médico após o episódio. 

Ainda de acordo com o depoimento de Marcelly, após o episódio, ela disse ao acusado que não queria mais se relacionar com ele. O homem, tentou, então, impedí-la de sair do apartamento que dividiam, no Engenho Novo, Zona Norte do Rio, mas a funkeira conseguiu fugir. 

Marcelly relata que no dia 27 de abril voltou para casa, pois Francimar afirmou que iria aceitar a separação amigavelmente. No entanto, não foi isso que ocorreu e ele passou a impedir que ela deixasse o apartamento. A funkeira afirma que foi mantida em cárcere privado pelo ex por seis dias. Nesse período, chegou a ser levada para uma pousada em Paraty, na Costa Verde do Rio, mas depois retornou para o imóvel no Engenho Novo. 

Marcelly, que estava sendo impedida de usar o celular, durante um momento de descuido do ex conseguiu avisar ao irmão sobre o que acontecia. O rapaz acionou a Polícia Militar, que prendeu Francimar em flagrante no apartamento do ex-casal. Em seu depoimento, apesar de ter admitido as agressões, o acusado negou que tenha mantido a funkeira em cárcere privado. 

Os policiais que atenderam a ocorrência precisaram arrombar a porta do apartamento, já que ninguém atendia aos chamados da equipe. Em depoimento, Marcelly relatou que Francimar a obrigou a manter-se em silêncio, ameaçando lhe fazer algo caso gritasse ou abrisse a porta. 

Os PMs que estiveram no imóvel onde vivia o casal, após arrombarem a porta, relataram que encontraram Marcelly deitada na cama junto com Francimar.
De acordo com os policiais, a mulher estava muito nervosa, trêmula, e com sinais externos de agressão. Francimar estava ao lado dela, no interior do quarto, sem sinais de agressão. 

Levado para a 24ª DP (Piedade), Francimar foi autuado em flagrante pelo crime de cárcere privado qualificado, cuja pena é de dois a cinco anos de prisão. Em depoimento, ele negou que tenha mantido a ex-companheira em cárcere. A polícia abriu investigação para apurar também as denúncias de ameaça e agressão sofridas pela Mc.








Comentários