BITCOIN TEM SEGUNDA MAIOR QUEDA NA HISTÓRIA, APÓS MUSK DIZER QUE NÃO ACEITARÁ A MOEDA NAS VENDAS DA TESLA POR RISCO AMBIENTAL

BITCOIN TEM SEGUNDA MAIOR QUEDA NA HISTÓRIA, APÓS MUSK DIZER QUE NÃO ACEITARÁ A MOEDA NAS VENDAS DA TESLA POR RISCO AMBIENTAL

O bitcoin, a maior moeda digital do mundo, teve a segunda maior queda da história em um único dia, após o dono da Tesla, Elon Musk, afirmar que não aceitará mais a criptomoeda nas vendas da montadora por questões ambientais. A divisa perdeu 17% do seu valor na quarta-feira e fechou na faixa dos US$ 46 mil.

Nesta quinta-feira, a moeda manteve o ritmo de queda, porém em menor velocidade, e encerrou o dia com desvalorização de 6,67%, porém retornou ao patamar dos US$ 50 mil, sendo negociada a US$ 51,2 mil no fim do dia.

O bilionário sempre foi um entusiasta do bitcoin. Investiu mais de US$ 1 bilhão na moeda e chegou a cogitar converter transações da companhia para a divisa digital. Em março, disse que aceitaria a criptomoeda como pagamento pelos carros elétricos da Tesla.

As declarações, sempre feitas por meio de seu perfil no Twitter, inflaram o valor do bitcoin. Mas revelaram uma contradição que alimentou críticas de ambientalistas e de investidores.

Os carros da Tesla são apresentados como uma alternativa aos combustíveis fósseis. E a moeda digital é criada quando computadores de alta potência competem com outras máquinas para resolver enigmas matemáticos complexos, um processo que consome muita energia.

Pesquisas mostram que essa atividade, chamada de mineração de criptomoedas , usa 66 vezes mais energia do que há seis anos. Outros estudos apontam que a prática consome a mesma quantidade de energia que a Holanda consumia em 2019.


Comentários